Orientação, Prescrição, Remédio, Entrega de SaúdeX Íntima Masculina em Qualquer lugar do Brasil!

about

Estilo e Conforto em SaúdeX Masculina

Reconquiste Relacionamento

Soluções para saúde sexual em prol da qualidade de vida.
Ensinamos os Passos👇 

 

COMO FUNCIONA

4 PASSOS SIMPLES

Entenda Como

Qualidade de Vida e Felicidade

Comunicação Clínica 24 Horas e quando você Precisar!

drpocket.com.br


 

Sigilo Absoluto

Tratamento Personalizado

Avaliação Precisa

Prescrição de biodisponibilidade para determinar about

  1. A quantidade ou proporção de fármaco absorvido a partir da formulação farmacêutica;
  2. Velocidade na qual o fármaco foi absorvido;
  3. A duração da presença do fármaco nos líquidos biológicos (sangue e linfa) ou tecido, correlacionada com as respostas do paciente;
  4. A relação entre níveis sanguíneos do fármaco e eficácia clínica ou efeitos tóxicos.

Farmacocinética Clínica: empregando-se os conceitos básicos dessa ciência para otimizar os tratamentos farmacológicos de pacientes, no contexto da terapêutica medicamentosa ou Farmacoterapia.


COMO FUNCIONA?
  • SELECIONE UM PRODUTO


    Selecione o Problema que deseja resolver. Algoritmo faz a Triagem e identifica sua BioDisponibilidade FarmacoTerapêutica. (Interação do Remédio com seu Organismo)

  • ESCOLHA UM VALOR


    Selecione uma Metodologia de Administração Medicamentosa. (BioMédico ou Especialista Clínico avalia estratégia de formulação do Tratamento Personalizado/BioPsicoSsocial)

  • PAGAR


    Faça o pagamento do Remédio BioDisponível Genérico usando cartão de crédito ou por telefone celular (Somente com Liberação da TelePrescrição para o Paciente).

  • RECEBA SEU PRODUTO

    Os produtos serão dispensados por Farmácia Credenciada na Plataforma. Enviada para Paciente onde estiver. (Prontos para serem tomados)















IMPORTANTE:
Farmacocinética é o "caminho" que o medicamento segue no organismo de seres vivos como humanos. Não se trata do estudo do seu mecanismo de ação, o que corresponde à farmacodinâmica ou mesmo da farmacogenômica, mas sim as etapas que a droga sofre desde a administração, introdução do fármaco no organismo como tomar um comprimido, até a excreção, processo pela qual o fármaco deixa o organismo definitivamente, que são: administração, absorção, biotransformação, biodisponibilidade e excreção. Note também que uma vez que se introduza a droga no organismo, essas etapas ocorrem de forma simultânea, dado que uma quantidade de medicamento já passou pela a etapa em questão, sendo essa divisão apenas de caráter didático.

Fig.3: Curvas de Biodisponibilidade de um fármaco em diferentes vias de administração.

Parâmetros farmacocinéticos para avaliação ou comparação da biodisponibilidade, na avaliação comparativa de duas formulações diferentes, que possuem o mesmo princípio ativo:

  1. Concentração sanguínea máxima;
  2. Tempo de concentração máxima;
  3. Área sob a curva de concentração sanguínea em função do tempo.

Absorção do fármaco

A interpretação quantitativa dos valores obtidos nos ensaios de dissolução é facilitada pela utilização de uma equação genérica, que traduz matematicamente a curva de dissolução em função de alguns parâmetros relacionados com a forma farmacêutica.


CONCLUSÃO

Biodisponibilidade é uma medida da extensão de uma droga terapeuticamente ativa que atinge a circulação sistêmica e está disponível no local de ação.


Referências:

 De Lucia, Roberto. «Farmacologia integrada». Farmacologia integrada

 De Carvalho, Marcelo (2002). «COMPARAÇÃO DA BIODISPONIBILIDADE DE DUAS FORMULAÇÕES DE AMLODIPINA APÓS A ADMINISTRAÇÃO A VOLUNTÁRIOS SADIOS DE AMBOS OS SEXOS» (PDF). COMPARAÇÃO DA BIODISPONIBILIDADE DE DUAS FORMULAÇÕES DE AMLODIPINA APÓS A ADMINISTRAÇÃO A VOLUNTÁRIOS SADIOS DE AMBOS OS SEXOS line feed character character in |jornal= at position 74 (ajuda); line feed character character in |titulo= at position 74 (ajuda)

 Veiga, Francisco; Pina, Maria Eugénia; Manadas, Rui (2002-12). «A dissolução in vitro na previsão da absorção oral de fármacos em formas farmacêuticas de liberação modificada». Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas. 38 (4): 375–399. ISSN 1516-9332. doi:10.1590/S1516-93322002000400002 Verifique data em: |data= (ajuda)

 Moura, André Luiz. «Princípios de Farmacocinética Clínica/ Farmacocinética Clínica Aplicada» (PDF). Princípios de Farmacocinética Clínica/ Farmacocinética Clínica Aplicada

 Sindusfarma - Anvisa. «CLASSIFICAÇÃO BIOFARMACÊUTICA: MÉTODOS PARA DETERMINAÇÃO DA PERMEABILIDADE» (PDF). CLASSIFICAÇÃO BIOFARMACÊUTICA: MÉTODOS PARA DETERMINAÇÃO DA PERMEABILIDADE

 Veiga, Francisco; Pina, Maria Eugénia; Manadas, Rui (2002-12). «A dissolução in vitro na previsão da absorção oral de fármacos em formas farmacêuticas de liberação modificada». Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas. 38 (4): 375–399. ISSN 1516-9332. doi:10.1590/S1516-93322002000400002 Verifique data em: |data= (ajuda)

 Veiga, Francisco; Pina, Maria Eugénia; Manadas, Rui (2002-12). «A dissolução in vitro na previsão da absorção oral de fármacos em formas farmacêuticas de liberação modificada». Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas. 38 (4): 375–399. ISSN 1516-9332. doi:10.1590/S1516-93322002000400002 Verifique data em: |data= (ajuda)

 Veiga, Francisco; Pina, Maria Eugénia; Manadas, Rui (2002-12). «A dissolução in vitro na previsão da absorção oral de fármacos em formas farmacêuticas de liberação modificada». Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas. 38 (4): 375–399. ISSN 1516-9332. doi:10.1590/S1516-93322002000400002 Verifique data em: |data= (ajuda)

 Veiga, Francisco; Pina, Maria Eugénia; Manadas, Rui (2002-12). «A dissolução in vitro na previsão da absorção oral de fármacos em formas farmacêuticas de liberação modificada». Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas. 38 (4): 375–399. ISSN 1516-9332. doi:10.1590/S1516-93322002000400002 Verifique data em: |data= (ajuda)

 Shargel, L.; Yu, A.B. (1999). Applied biopharmaceutics & pharmacokinetics (4th ed.). New York: McGraw-Hill. ISBN 0-8385-0278-4

12. ATKINSON, A.J. Jr. Drug absorption and bioavailability. In: ATKINSON, A.J. Jr et al. (Eds). Principles of clinical pharmacology. San Diego: Academic Press, 2001, p.31-41.

13. Manadas, R., Pina, M., & Veiga, F. (2002). A dissolução in vitro na previsão da absorção oral de fármacos em formas farmacêuticas de liberação modificada. Revista Brasileira De Ciências Farmacêuticas, 38(4), 375-399.

14. Jennifer Le, PharmD, MAS, BCPS-ID, FIDSA, FCCP, FCSHP, Professor of Clinical Pharmacy and Director of Experiential Education in Los Angeles, Skaggs School of Pharmacy and Pharmaceutical Sciences, University of California San Diego

15. Castro. J, A.Ibuprofen-loaded chitosan hydrogels for controlled drug release in nerve injuries, UFABC, 2017.

16. Ryrfeldt A, Andersson P, Edsbacker S, et al. Pharmacokinetics and metabolism of budesonide, a selective glucocorticoid. Eur J Respir Dis Suppl 1982;122:86 – 95

17. Derendorf H. Pharmacokinetic and pharmacodynamic properties of inhaled corticosteroids in relation to efficacy and safety. Respir Med 1997;91(Suppl A):22 – 8

18. Rowland M, Tozer T. Clinical pharmacokinetics: concepts and applications. Philadelphia7 Williams and Wilkins; 1995.



Credibilidade e Confiança

logo-icon
logo-icon
logo-icon
logo-icon
logo-icon
logo-icon
logo-icon
logo-icon
logo-icon